30 de outubro de 2018

Os 13 Porquês, Jay Asher


Olá Meus Queridos Leitores!
Tudo bem com vocês!? Comigo tudo bem! Hoje trago uma resenha delicada e com assuntos difíceis de se fala, digamos que é um tabu em nossa sociedade, então confira!

Imagem relacionada

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.


 

Os 13 Porquês, um livro que traz a história de Hannah Baker, uma adolescente que por sinal se suicidou. Ela chegar em uma cidade nova, escola nova e com certeza amigos novos. Ela é uma garota um tanto ingênua que pensa que terá uma nova chance de ter um primeiro amor, novos amigos, mas nem tudo e como ela esperava. Seu primeiro beijo foi com o melhor astro do futebol do colégio, foi seu melhor momento, mas acabou se tornou um pesadelo quando isso se tornou uma piada na escola, onde Hannah se tornou a “vadia” do colégio. A partir daí que começa a bola de neve, como ela chama que cada vez mais vai crescendo e se tornando ruim e ninguém vê que isso está a machucando, deixando triste até que seja tarde demais.

“Acho que essa é a questão central. Ninguém sabe ao certo quanto impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não temos noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito.”

Depois dos acontecimentos, acompanharemos a Clay Jensen que ao chegar em sua casa, em frente de sua porta estar um pacote e nele contém sete fitas cassetes. Neles contendo treze porquês, treze pessoas, treze motivos que fizeram com que ela chegasse a esse extremo. Quando Clay coloca a primeira fita para escutar, fica confusa porque a voz que está saindo é de Hannah Baker. Ele não entende de como se encaixa nisso e o porquê ele faz parte dessa lista, ele sempre teve uma queda por ela mas para isso ele terá que escutar até o final. É aí que partiremos junto com Clay pela cidade com um mapa onde ela marcou com estrelas vermelhas, pontos onde aconteceram várias coisas. Era o que ela queria, que a pessoa na lista escutasse tudo que fizeram a ela, que por algum momento foram culpados pela morte dela.

"Às vezes temos pensamentos que nem mesmo a gente entende. Pensamentos que nem são verdadeiros - que não são realmente como nos sentimos - , mas que ficam rondando nossa cabeça porque são interessante de pensar."

Jay Asher soube trazer um tema delicado, soube aborda-la de uma maneira incrível. A narração é intercalada entre Clay e as gravações de Hannah, podemos sentir o que a Hannah sentia por tudo aquilo que estava passando, entendemos todos os motivos com que fizeram ela a chegar a um ponto da vida dela que para ela já estava no fundo do poço. O que mais achei incrível foi com a delicadeza que o autor abordou o tema na história, não foi só sobre suicídio mais outros temas também como abuso sexual, drogas, bebidas.
Aqui vemos como uma pequena ação, palavra, atitude que pode afeta a vida de alguém tanto que ninguém chegar a perceber e Clay tentou alcança-la, mas foi tarde demais e Hannah quis mostra seus motivos porque fez isso e também quiseram que o demais soubesse através dela. Isso foi impactante para mim, foi uma história cheias de lições, então temos que pensar muito antes de falar qualquer coisa para alguém ou o ator que for fazer porque não sabemos o que a pessoa estar passando na vida, qualquer ato até o pequeno detalhe que for pode chegar a ser fatal. Eu indico bastante esse livro, mas antes de ler quero que se prepare porque é bem impactante a história.


8 comentários

  1. Li este livro no ano passado devido ao seriado. Confesso que ele acabou me prendendo pela escrita e o desenvolvimento da personagem. Vamos sofrendo tudo aquilo que ela passou. Ainda sim é uma leitura pesada, mas que acaba agregando a forma que tratamos o outro.

    ResponderExcluir
  2. Olá, apesar de ter lido a obra há algum tempo, a escrita de Asher foi bastante marcante para mim, e não foi fácil terminar a leitura desse livro. O autor sem dúvidas soube muito bem conduzir a narrativa abordando temas complexos, sem, contudo, soar apelativo ou exagerado. A última ressalva que eu tenho é a falta de caracterização dos personagens secundários, os quais poderiam ser mais explorados nas fitas de Hannah. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi! Já li esse livro e também achei muito impactante. Hannar, no final, com aquelas fitas, ela fez com que todos aqueles que tiveram parte na sua decisão, refletissem nas consequências dos seus atos e evitar que cometessem o mesmo erro. Achei os assuntos abordados com bastante sutileza.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lily!
    Confesso que não costumo ler livros com histórias impactantes, prefiro livros leves, sem dramas e que não causam tensão no leitor, sabe?! Até arrisco a leitura desse tipo de livro mas é raro e o livro tem que me interessar bastante, o que não acontece com Os 13 Porquês, nunca tive curiosidade em descobrir junto com o Clay o porque de Hannah ter cometido suicídio... Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Muito sério isso, devemos ter cuidados com nossas atitudes, assim como você escreveu, um pequeno ato e podemos magoar alguém profundamente (ao ponto de essa pessoa tirar a vida, pois não sabemos o que ela passa e o nosso gesto pode ser a gota em um copo cheio!),ainda não li o livro, mas gostei muito da série e acho que o tema deve ser mostrado (é muito importante dizer as pessoas que elas podem contar com alguém, alguém que vai ajudar!) os outros fatos secundário também são relevantes, mas a história da Hannah em si já é bem carregada! ótima resenha, Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Lily!
    Falar sobre um tema como suicídio e ainda assim deixar a narrativa carregada de mistério, não é um tarefa fácil.
    Acredito que o verdadeiro sentido do livro seja realmente mostrar para as pessoas que levaram a protagonista a cometer tal ato, o quanto elas a fizeram mal e aí ela consegue retribuir na mesma altura, todo sofrimento imposto a ela.
    Devemos mesmo pensar em nossas atitudes e palavras, porque elas podem afetar alguém de uma forma que nem imaginamos…
    “O passado é uma cortina de vidro. Felizes os que observam o passado para poder caminhar no futuro.”(Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Já faz tempo que quero ler esse livro, mas tenho um certo receio, porque acho que não estou no melhor momento emocionalmente pra ele, já que tem uma carga bem pesada.
    Pelo o que você disse, é muito bem escrito e toca em assuntos tabus e importantes como abusos, bebidas e drogas, além do bullying.
    É como você disse também, nos faz refletir sobre como podemos magoar as pessoas com palavras, e com isso, deixá-las tão mal a ponto de tirar sua própria vida.
    Muito triste, mas leitura recomendável.
    Vamos se até ano que vem tomo coragem e leio!
    bjs
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. O livro não é uma leitura fácil e isso é perceptível logo do início estou muito tempo tentando começar a ler esse livro mas eu tenho teimosia de espera comprar ele para ler em formato físico mas desde que lançou a série e não consegui encontrar de jeito nenhum o livro para começar minha leitora

    ResponderExcluir

Layout Free - Design e Desenvolvimento por: Adorável Design